Milhares de Sensores com o PRTG Network Monitor

Você e eu sabemos o quanto um Método Passo-a-Passo simplifica as tarefas, principalmente aquelas atividades/objetivos que não são triviais, em outras palavras, resultados que costumam exigir “mais” do executor.

Estas atividades não-triviais, com o PRTG Network Monitor, são as instalações de milhares de sensores para monitorar a rede de computadores.

PRTG-sunburst

Se você estudar a documentação do PRTG encontrará que instalações com até 2.000 sensores, utilizando sensores básicos como SNMP(v1/v2), não devem apresentar problemas, acima disto cuidados especiais devem ser tomados.

Na definição de um Método para Instalações de sucesso com o PRTG, utilizando milhares de sensores, destaco alguns pontos essenciais:

1) Intervalo Entre Leituras: o valor default para o intervalo de leitura do PRTG é de 60 segundos e este valor é perfeitamente adequado para instalações com até 1.000 sensores, podendo chegar a 2.000 sensores básicos em uma única instalação. A recomendação acima de 2.000 sensores básicos, ou mesmo quando se usa sensores complexos que exigem mais recursos de TI, é passar o intervalo de leitura dos sensores para 5 minutos. Desta forma você garantirá uma instalação estável e poderá, posteriormente, ir reduzindo o intervalo de leitura e continuar observando se o PRTG permanece operando adequadamente.

2) Hardware Físico ou Virtualizado: inúmeros testes mostram que tanto o Servidor do Núcleo quanto os Servidores das Sondas apresentam melhores resultados se forem Hardwares físicos(64 bits). Tanto o Núcleo quanto a Sonda podem rodar em Hardware virtualizado, mas o desempenho do Sistema será inferior pelo fato de existirem mais camadas de software que, invariavelmente, trazem algum delay nas respostas. Se você for realmente utilizar virtualização não use alocação dinâmica de recursos. Para mais informações Clique Aqui!

3) Use Sensores BÁSICOS Sempre que Possível: o PRTG possui mais de 200 tipos diferentes de sensores, desta forma ele traz a informação mais adequada para o Gestor. Pelo fato dos diferentes tipos de sensores terem pesos diferentes para os recursos de TI eles devem ser utilizados com critério. Os sensores básicos são os mais leves. Nesta categoria encontra-se os sensores PING, SNMP, HTTP, … . Os sensores Básicos consomem poucos recursos de CPU, Memória e Banda de Rede. Os sensores WMI, por sua vez, entregam mais informações que os sensores SNMP, mas, em contrapartida, são muito mais pesados. A recomendação da fabricante PAESSLER é que se use no máximo 120 sensores WMI com intervalo de leitura de 60 segundos ou até 600 sensores com intervalo de 300 segundos (5 minutos).

4) Sistemas Operacionais: definitivamente o mais adequado é o Windows Server 2012 R2 tendo .NET Framework 4.0 ou 4.5 instalado.

5) Configurações do PRTG: troque o servidor Web do PRTG de HTTPS para HTTP, assim será mais veloz. Também troque para a opção “Speed”. Esta configuração desabilita uns poucos recursos não-críticos para aumentar a velocidade da interface web: no Menu principal do PRTG escolha Setup | System Administration | User Interface. Nas configurações do Servidor Web, seção Performance Strategy, escolha a opção More Speed. Por fim, verifique o uso de memória do processo do Servidor. Para valores acima de 1 GB navegue até Setup | System Administration | User Interface na interface Web do PRTG, seção Graph Settings, para reduzir o uso de memória RAM. Escolha a menor configuração que ainda faça sentido para seu uso específico. O objetivo é evitar o lento swap de memória em disco a todo custo.

6) Boas Práticas:

a. Reinicialize(Reboot) regularmente: o servidor de núcleo deve ser reinicializado uma vez por mês e as sondas remotas uma vez por semana. Você pode agendar a reinicialização remota da sonda em Administrative Probe Settings na interface web do PRTG.
b. Desfragmente os HDs frequentemente: rode um desfragmentador uma vez por dia ou no máximo uma vez por semana.
c. Evite usar, sempre que possível, em instalações com milhares de sensores: Toplists, sensores WMI, Packet Sniffing, NetFlow e sFlow, múltiplas contas de Usuários e Grupos, muitos diferentes direitos de acesso por nó, dependências, mais de 20 cronogramas, bibliotecas, relatórios gigantes, detecção de sensores similares e detecção de sensores recomendados.
d. Para cada Cluster divida os números recomendados por dois.

Seguindo as orientações acima você deve conseguir instalar e gerenciar facilmente instalações PRTG com milhares de sensores.

Mesmo recomendando o que vimos até agora a própria fabricante do PRTG PAESSLER afirma que é possível monitorar 5.000 sensores SNMP V3, com intervalo de 60 segundos, em um computador comum com dois núcleos, e aproximadamente 10.000 sensores em um servidor com quatro núcleos (o principal fator limitante é o desempenho da CPU).

Mesmo no Brasil encontramos empresas queSICOOB - Depoimento PRTG não seguiram rigorosamente todas as recomendações acima e estão satisfeitíssimas com o PRG. Veja o Estudo de Caso da empresa SICOOB com 18 mil colaboradores. Eles tem sua rede monitorada com uma plataforma virtual da VMware sobre um servidor com versão 64 bits do Windows Server 2008, processador Intel Xeon 2.4 Ghz Quadcore e 10GB de memória RAM. O software PRTG é utilizado para monitorar cerca de 8 mil sensores em switches e roteadores.

 

Aprenda, Passo a Passo, Como Manter os Computadores e a Internet em Alta Disponibilidade Com o PRTG NetWork Monitor!

Nilo Guimarães

Nilo Guimarães é um entusiasta de Tecnologia e Empreendedorismo! Há mais de 20 anos ajuda profissionais de Engenharia Mecânica e TI a alcançarem suas metas e resultados. É Engenheiro Mecânico Pós-Graduado em Automação Industrial.

Website: http://MonitorarRede.com.br

  • Compartilhe! Quantos milhares de sensores são no seu caso?